A importância do PLVB para a logística do transporte brasileiro e suas regras

29/11/2018 às 3:49 - Atualizado em 10/12/2018 às 8:32

Cada vez mais o meio ambiente está se tornando uma pauta no transporte brasileiro. Prova disso são as medidas atuais para estimular a compra de veículos elétricos e regras para evitar uma grande quantidade de poluentes dentro das cidades. Mas isso não adianta sem uma logística de transporte adequada e favorável à mobilidade urbana.

O PLVB, sigla para Programa de Logística Verde Brasil, nada mais é do que uma iniciativa de algumas empresas para demonstrar o compromisso com o ambiente. Essas empresas criaram um projeto que visa diminuir a emissão de gases do efeito estufa dentro do setor corporativo.

Para conscientizar ainda mais empresas e motoristas, esse grupo recentemente lançou também o “Manual de Aplicação: Boas Práticas para Transportes de Carga”, que visa auxiliar todos os envolvidos no meio com atividades importantes nesse momento tão difícil.

O que é e para que serve o PLVB

O PLVB possui a estratégia de diminuir a emissão do dióxido de carbono na atmosfera. Dessa forma seria possível estipular práticas mais sustentáveis que seriam seguidas por algumas empresas no Brasil.

Além disso, outro objetivo é potencializar a eficiência logística de transporte de cargas brasileiro. Nesse momento, são elaboradas soluções capazes de aprimorar todos os procedimentos realizados tanto antes como durante uma entrega.

Essas técnicas inovadoras que buscam atingir o aumento da eficiência energética e a redução dos gases prejudiciais são colocados em prática por um conjunto de empresas que investem no projeto e acreditam que esse é o melhor jeito para aumentar a produtividade e os rendimentos.

Quem é o PLVB?

Com muita influência, o PLVB é liderado por embarcadores, prestadores de serviços logísticos e transportadoras. Esse grupo também é apoiado por instituições de renome, tanto no Brasil, como na América Latina e no mundo.

Essas empresas se unem e propõem uma sinergia de ações que propiciam o bom andamento do transporte brasileiro, favorecendo todos os lados e criando uma relação vantajosa e eficiente.

Como isso funciona?

Todos os que possuem algum papel no transporte de cargas brasileiro deveria ser afetado com essas determinações. As mudanças deveriam gerar um impacto tanto na transportadora responsável pelo transporte como no caminhoneiro em si, que deve viajar com a entrega.

Em síntese, por meio de alguns processos nos centros de distribuição, nos armazéns, nos terminais e nos pátios, seria possível aumentar a eficiência energética das empresas com uma logística adequada e sustentável.

Para isso acontecer

Para que tudo isso aconteça, as transportadoras deveriam limitar sua concorrência às prateleiras. Isso significa que elas deveriam colaborar entre si nessas atividades logísticas e na elaboração de processos aplicáveis.

Nesse contexto, todos ganham: o meio ambiente seria menos poluído, as transportadoras seriam mais eficientes e produziram mais empregos, o que seria capaz de melhorar a qualidade de vida do caminhoneiro.

O Manual de Aplicação: Boas Práticas para Transportes de Carga

O Manual de Aplicação foi lançado no ano de 2018 e consiste em 22 práticas idealizadas para tornar o transporte de cargas aqui no mais eficiente. Sempre melhorando não só a logística no transporte rodoviário, mas também em outros meios de locomoção.

O documento, que pode ser consultado no site do PLVB, foi criado por meio da união de diversos funcionários de 21 empresas ao lado de professores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Tags: