Fábrica da DAF em Ponta Grossa à todo vapor

25/07/2016 às 10:25 - Atualizado em 25/07/2016 às 10:26

Fábrica da DAF em Ponta Grossa à todo vapor

Fábrica da DAF em Ponta Grossa começa a operar para valer em janeiro e deverá produzir quase mil caminhões em 2015, além de muitas novidades

Pós um ano de pré-produção na sua fábrica de Ponta Grossa, PR, a DAF apresentou oficialmente sua planta industrial, onde foram investidos US$ 320 milhões. Na fase plena a linha da montadora terá capacidade para produzir 10 mil caminhões/ano em dois turnos, mas a primeira meta é chegar às 5 mil unidades/ano.

Marco Davila, presidente da DAF Brasil, satisfeito com a aceitação da marca pelos transportadores brasileiros, assegura que os usuários da marca serão atendidos por veículos de alta qualidade e uma rede de assistência técnica de elevado padrão de qualidade de serviços. “Estamos iniciando nossa operação com os pés no chão, com a confiança de entregar ao transportador um produto que mostra grande eficiência operacional.

Construída em uma área total de 2,3 milhões de m² – é a maior do mundo do grupo Paccar -, os galpões da fábrica somam 34 mil m² de um terreno principal de 270 mil m² e operam pelo sistema PPS – Paccar Production System, que garante o mínimo índice de não conformidades do grupo, com seus quadros, de 190 funcionários, altamente treinados e equipe de produção capacitada pela DAF Academy, na Holanda.

A alavancagem para chegar nos primeiros anos a uma fatia entre 5 a 7% do mercado se dará com a consolidação da rede de concessionárias em todo país e também com a implantação do banco DAF, o que deve ocorrer entre 18 a 24 meses e deverá ser responsável por 35% das vendas. Junto ao banco também deverão ser disponibilizadas outras modalidades como o leasing e o consórcio.

Atualmente com 90% do índice de nacionalização necessário, a taxa baixou a partir do momento em que o governo passou a considerar PIS/COFINS nas importações, a DAF espera se habilitar à modalidade PSI Finame em julho ou agosto do próximo ano.

Os 60% de conteúdo nacional para entrar nesse rol serão garantidos pelo sistema de montagem dos cavalos-mecânicos XF, com fornecedores brasileiros. Os chassi são Metalsa, os eixos traseiros Meritor Suspensys, o bloco do motor é Tupi e as cabinas são confeccionadas pela Usiminas.

Felix Hendriks, diretor de Desenvolvimento de Produto da DAF Brasil, explica que a missão de nacionalizar o produto será facilitada pela presença no país de 170 fornecedores europeus – 79% do Milk run está no parque industrial paulista.

Investimentos

Também a partir de 2015 os motores atuais de 410 cv e 460 cv terão a companhia de uma versão de 510 cv, além da cabina Super Space Cab, consagrada marca registrada da DAF, com seus faróis de teto. Hendriks observa que não há qualquer impedimento legal para o seu lançamento no Brasil: “Não ocorre nenhum problema de ofuscamento”, diz ele. A Space Cab oferece um habitáculo com 2,10 metros de altura interna e grande conforto interno, piso plano e cama de grandes proporções.   

Com o aval de frotistas que já realizaram a terceira compra dos DAF XF 105, Hendriks credita o sucesso ao extenso trabalho de campo das equipes da montadora. “Conseguimos prover o mercado com um cavalo típico para o Brasil, com uma tancagem de 620 litros de diesel e 140 litros de Arla e motores de 6 cilindros e 12,9 litros com a confiabilidade assegurada por bilhões de quilômetros rodados em caminhões Peterbilt e Kenworth nos Estados Unidos.”

“Além da qualidade e eficiência do produto estamos cuidando para que nossos clientes tenham o melhor em assistência técnica”, assegura Davila. Para ele, já foram investidos nada menos que R$ 200 milhões na instalação de 20 concessionárias pelo Brasil – custo médio de R$ 10 milhões por unidade.

Segundo o presidente, os 15 grupos econômicos que hoje são proprietários das 20 casas devem chegar à instalação de 40 revendas, embora o objetivo da montadora seja de oferecer na sua fase plena um total de 100 concessionárias.

Apesar de oferecer uma cobertura bastante razoável a partir do próximo ano, a montadora disponibiliza o DAF Assistence 24 horas, um serviço para os usuários que tem como compromisso garantir a entrega de 99% das peças requeridas em 48 horas.

Assistência

A grande novidade para o ano que vem, todavia, deve ser a conclusão dos estudos de viabilidade econômico-financeira do lançamento no Brasil da linha de caminhões CF. Segundo o presidente, o projeto de nacionalização já foi concluído pela engenharia da empresa. 

Para Davila a base para a conquista de 10% do mercado a médio prazo é o estabelecimento de uma forte e confiável rede de assistência técnica. “A MacPonta Caminhões é um exemplo de infraestrutura que queremos oferecer aos nossos clientes”, diz ele.

Para a construção da concessionária de Ponta Grossa, os empresários José Divalsir Gondaski, o Ferruge, e José Álvaro Góes Filho investiram R$ 17,5 milhões. A MacPonta atenderá a 225 municipios paranaenses, incluindo os abrangidos pela outra filial, de Marialva. “Ao todo nossos investimentos chegarão próximos dos R$ 30 milhões”, diz ele confiante.

A casa de Ponta Grossa está instalada num terreno de 42 mil m², as edificações da MacPonta somam 5 mil m² e segue o padrão mundial DAF, leia-se Paccar, com prédio de funilaria e pintura de mil m² e até um grande salão de eventos, salas de treinamento, restaurante etc.

“Planejamos tudo para um horizonte de 10 anos e nos próximos 5 esperamos colocar no mercado 1,5 caminhões”, prevê José Álvaro.