Posto de comandante

18/05/2017 às 11:43 - Atualizado em 30/05/2017 às 3:54

Novos caminhões Mercedes-Benz trazem novos bancos e o do motorista pode ser considerado semelhante aos dos carros esportivos de luxo

Depois dos investimentos vultuosos no desenvolvimento de nossos chassis, cabinas e trens de força, a Mercedes-Benz resolver investir no interior dos caminhões, na busca da maior produtividade possível para o motorista.

Além de toda a tecnologia embarcada, que já fornecia ao motorista um grande pacote de informações sobre a máquina e os resultados que ele próprio estava conseguindo e como poderia melhorar, a montadora resolveu atender a uma das principais reivindicações dos motoristas: otimizar o conforto do banco, local onde o condutor passa a maior parte do seu dia de trabalho.

Oferecida para os modelos Atego, Axor e Actros, a nova geração de bancos arremata o pacote de itens de conforto para o motorista presente na cabina e tem como objetivo melhorar a qualidade de vida e desempenho do motorista.

Era o que faltava, depois do painel superfuncional incluindo pacote multimídia, sistema de som, visibilidade total, volante multifuncional e tacografo digital, itens da nova fase do conceito Econfort. O banco efetivamente é o centro de qualquer conjunto de itens de conforto para o motorista.

Por isso, provavelmente, foi o mais complexo de desenvolver em virtude da diversidade de biótipos do condutor brasileiro e da concepção de um banco confortável para todos segundo os princípios da ergonomia.

Com certeza esse item é o mais importante para o conceito. Pelos depoimentos colhidos pela NT, unanimidade entre os motoristas é a satisfação do pós-jornada de trabalho. Depois de 10 horas de condução, o motorista chegar em casa em condições físicas para desfrutar a convivência da família é algo que para eles não tem preço e é inédito.

Os novos bancos integram uma grande série de detalhes de aperfeiçoamento do item pesquisados e desenvolvidos pelo Centro de Desenvolvimento Tecnológico da Mercedes-Benz do Brasil levando em conta a opinião dos motoristas e do seu posicionamento ao dirigir e as normas da ergonomia.

O que primeiro chama atenção é a instalação do cinto de segurança no próprio banco, em vez da fixação normal na coluna da cabina. ”Com o cinto preso à estrutura da cabina havia sempre a necessidade de regulagem e, além disso, com o movimento do banco para cima e para baixo o cinto tendia a raspar no peito do motorista”, diz chefe de Centro de desenvolvimento.

Isso tem tudo a ver com as condições das estradas brasileiras, uma sucessão de buracos e lombadas sem fim. “Os novos bancos foram projetados de acordo com o biotipo do motorista brasileiro, priorizando o bem-estar e a satisfação de quem passa horas ao volante”, diz Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

O desenvolvimento local levou em conta as características do transporte e os hábitos de quem dirige caminhão pelo território nacional, além de levantamentos feitos em clínicas, pesquisas, demonstrações, eventos e test-drives por todo o país.

Produzidos nas versões Estático e Pneumático, os novos bancos têm encosto com perfil envolvente, que mantém as costas do motorista estáveis e apoiadas no máximo número de pontos. Este é um detalhe importante para o posicionamento confortável, mas que não permite o deslizamento em caso de manobras severas.

Somando-se a isso, o assento ganhou espessura de espuma suplementar de 10 mm em relação à versão anterior, além de novo acabamento, em tecido ou vinil. Resultado, está mais macio, os materiais facilitam a limpeza e a sensação de conforto aumentou consideravelmente.

O top de linha, a versão “Conforto”, tem ajuste lombar pneumático, através de duas bolsas infláveis para apoio lombar e duas para apoio lateral, o que propicia ajuste perfeito para cada biotipo de motorista.

Os novos bancos, do motorista e do acompanhante, aliam praticidade e comodidade e permitem longo tempo de trabalho sem stress do condutor. O banco do motorista tem 12 regulagens: ajuste do encosto das costas, baixar/levantar o assento pneumático, ajuste da altura do banco, ajuste da inclinação do assento, ajuste do amortecedor, amortecimento horizontal, ajuste horizontal, ajuste da profundidade do assento, dois apoios de braço, baixar/levantar o encosto das costas e ajuste lombar na versão “Conforto”.

Para completar, a Mercedes-Benz agregou novidades às camas disponíveis nas Cabinas Leito e Estendidas. O revestimento passou a ser confeccionado com um tecido de mais elasticidade. A espuma é laminada, com espessura de 120 mm e propicia maior conforto ao motorista no seu período de descanso.

Para o diretor de Vendas e Marketing Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil, Ari de Carvalho, essas novidades consolidam a nova etapa do Econfort, conceito que agrega mais economia, conforto, força e desempenho dos caminhões da marca e proporciona maior rentabilidade ao usuário.

“Primeiro, em 2014, incorporamos uma série de itens de economia de combustível, depois nos voltamos para a redução dos custos de manutenção e, agora, asseguramos um notável conforto ao motorista”, comemora Carvalho.

Os novos bancos devem ser uma das grandes atrações da próxima Fenatran – Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas, que este ano acontecerá no final de outubro no Centro de Exposições Imigrantes.