Transporte de alimentos orgânicos movimentam fretes no Brasil

03/02/2019 às 9:39 - Atualizado em 08/02/2019 às 8:22

Com o passar dos anos, o consumo de forma geral dos brasileiros passou por uma profunda transformação. E de forma concomitante, o transporte de alimentos também mudou muito, o que afetou de forma aguda a logística das transportadoras.

Devido à preocupação com a saúde e uma tendência maior de hábitos saudáveis por parte da população, os alimentos orgânicos se tornaram os verdadeiros queridinhos de um número muito relevante de pessoas.

Prova disso é que, segundo o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (CBPOS), a produção e o consumo de produtos sem o uso de substâncias químicas está crescendo 20% ano após ano. E por isso um transporte adequado e planejado é necessário!

A logística do transporte de alimentos orgânicos

A logística de transporte para alimentos orgânicos é mais complexa e requer muita atenção de qualquer transportadora. Isso porque esse tipo de alimento muitas vezes é mais “frágil” e precisa de necessidades especiais, tanto no deslocamento em si como em sua conservação.

Por essa razão, algumas empresas de transporte se especializaram em ações voltadas para o frete desse tipo de alimento. Um exemplo é a IBL Logística, que anualmente movimenta cerca de 120 mil toneladas de alimentos orgânicos.

Desafios no transporte de alimentos

Uma característica importante de empresas que desejam oferecer boas condições de transporte de alimentos orgânicos é uma ação multimodal. Isso se deve porque o tempo nesse tipo de frete é importante e pode ser crucial, nesse caso, para o sucesso de uma empresa de logística.

Com quase 20 anos de mercado, a IBL já é responsável por grande parte do mercado. E esse sucesso é fruto de algumas características da empresa.

Segurança e tecnologia

Para garantir fretes bem-sucedidos, não só dos orgânicos, mas também de eletrônicos — que são outro setor importante da IBL —, a empresa possui 100 veículos blindados.

Além disso, os caminhões são equipados e possuem toda a tecnologia necessária para a conservação do produto que será transportado, tanto para entregas rápidas como para a transferência de mercadorias para outros modais.

Uma localização privilegiada

A sede da empresa localiza-se em Guarulhos, São Paulo, — existem outros dois em Campinas e Ribeirão Preto. No local, existe um espaço de 25 mil m² de galpões de armazenagem com capacidade de estocagem de 8 mil posições pallet em pé direito de 15 metros, garantidos por 200 pontos de vigilância, com câmeras de alta definição.

Na armazenagem, áreas climatizadas têm monitoramento e controle de temperatura 24 horas, sete dias da semana, um programa digital suporta o rastreio sem falhas dos lotes e validades de cada tipo de produto, no caso dos orgânicos e alimentos, desde a saída da fábrica até a colocação do item na prateleira do cliente final.

Dessa forma é possível vencer os desafios no transporte de alimentos e diagramar a área do local de maneira positiva e potencializar toda a armazenagem de produtos. E assim, tornar a logística mais simples, rápida e lucrativa.

Diagramação dos fretes da IBL

A estratégia da IBL Logística é manter o equilíbrio no faturamento entre os três principais segmentos atendidos. As cargas do setor de alimentos/orgânicos representam 25%, as industriais 15%, os fármacos alcançam 30% e os eletrônicos chegam a 30%.

Nesse sentido, o diretor executivo da marca, Jonatas Spina Borlenghi, comenta como a variação de serviços é possível: “O sucesso da nossa operação está ligado à atenção do nosso pessoal em atender às peculiaridades de cada segmento.”

O nível de eficiência desse atendimento é resultado da oferta de técnicos altamente especializados em cada setor e da oferta de instalações, equipamentos e procedimentos que garantem a máxima agilidade do processo e o mínimo de perdas em qualquer circunstância.

Isso é possível com o estudo isolado das necessidades de cada tipo de cliente e de acordo com o bem movimentado. Áreas e equipamentos segregados dedicados, segundo o dirigente, são ofertas que garantem a máxima segurança e produtividade para a transferência de produtos para clientes do porte de uma Samsung, Nativa ou Sony, por exemplo.

O sucesso e o avanço diante da crise

Com todos os fatores acima descritos, a IBL cresce aproximadamente 20% ao ano. Isso resultou de uma forte atuação anticrise: a idade média da frota que variava entre 3 até um máximo de 4 anos subiu para pouco mais de 5 anos, o que levou a uma drástica elevação do número de agregados, hoje quase 80% da frota em operação.

Outro fator preponderante para se safar da crise foi o enxugamento da companhia: o número de funcionários da empresa foi reduzido pela metade. “Embora triste, esta foi a solução para manter a empresa sadia e a possibilitar uma rentabilidade de 8%, apesar da gigantesca queda de movimentação de cargas no país.”, comenta

“Nosso diferencial continua sendo o atendimento específico para a necessidade do cliente”, diz Borlenghi. No caso do transporte de alimentos, a empresa opera pelo sistema first in-first off e contribui para garantir o mínimo de perdas, pois as cargas têm data de validade. “Nossa expertise no manejo desse tipo de mercadoria nos credenciará para atender toda a cadeia de suprimento no futuro”, comemora.