Volare Cinco é o primeiro minibus integral da marca no Brasil

27/07/2016 às 11:18 - Atualizado em 22/09/2016 às 4:06

Volare Cinco é o primeiro minibus integral da marca no Brasil

Volare Cinco é o primeiro minibus integral da marca no Brasil, produzido em linha de montagem através do conceito de “enchassizar” uma carroceria     

Matéria da Revista Edição nº128, no ano de 2016

Filha de sangue da Marcopolo, e herdeira de seu DNA de qualidade no encarroçamento de veículos de transporte de passageiros, a Volare dará um passo definitivo rumo à emancipação até o final deste ano, quando adotará um novo conceito de produção, com o emprego do método de montagem e uso de novos materiais para lançar um minibus Volare de cinco toneladas.

Sob a batuta consultiva de Renato Mastrobuono, a equipe de engenharia da Volare concebeu o primeiro veículo integral, com o desenvolvimento de chassi e carroceria próprios para este veículo global com capacidade para até 20 passageiros. Produto de linha de montagem pura, diferentemente das carrocerias de ônibus ainda bastante artesanais, o Volare Cinco será um produto de pronta entrega. Roberto Poloni, diretor de Engenharia da Volare, antecipa que a intenção é manter 20 carros em estoque, uma possibiidade que dá grande flexibilidade à produção da empresa e agilidade ao transportador.

O Volare Cinco mostra já a primeira vista o resultado do uso de ferramentas de alta precisão, que garantem uma média de tolerância entre partes de apenas 1 milímetro. “Esse detalhe já coloca o Volare Cinco entre uma classe dos veículos de linha de montagem das grandes montadoras”, diz Gelson Zardo, diretor Geral da Volare.

Este grau de precisão é resultado da adoção de métodos que possibilitam alta sintonia do meio de produção do veículo, clara interferência de Mastrobuono no processo, com a introdução de robôs em pontos críticos e a utilização de máquinas extremamente afinadas à concepção do veículo.

Ponto nevrálgico de tudo isso é que o Volare Cinco se enquadra na categoria M3 do Finame, o que lhe garante financiamento farto, graças ao atendimento da norma 445 do Contran, referente à segurança operacional no transporte de passageiros.

“O resultado foi muito interessante – lembra Poloni – , pois o veículo exibe uma grande homogeneidade de acabamento, um elevado padrão de qualidade para um veículo desta classe”. O que ainda não foi definido claramente é a classe a que o Volare Cinco pertence. Para ele, não é van, mas também não é micro-ônibus, está num limbo próprio.

Novo veículo foi projetado para competir no mercado de vans com três modelos

Flexibilidade

Importante mesmo é o grau de flexibilidade do veículo, que pode ter várias versões dentro de uma mesma caixa e configurações diversas, pois seus bancos são todos removíveis e admitem diferentes possibilidades de largura. Enfim, pode ser transformado em um combo, com grande espaço para bagagem, para atender como transfer de aeroportos, hotéis etc, veículo escolar ou ser usado numa versão premmium para transporte de executivos, por exemplo.

As dimensões do veículo favorecem ene expectativas, embora Poloni, advirta: “Tudo pode ser pensado, mas nossa prioridade é transportar passageiros”. A altura interna do Cinco de 1.930 e a largura interna de 1.908 possibilitam a instalação de poltronas com 518 mm de largura, medida de poltrona de ônibus. Nesta, porém, o amplo corredor leva a pensar que poltronas conforto também podem ser instaladas sem problemas. São três as versões básicas, o escolar, para 20 passageiros; o fretamento, para 16; e o turismo, com capacidade para 13 pessoas. 

Com toda a iluminação em LED e bons bagageiros, para uma época em que a mochila virou moda, o Volare Cinco, realmente parece um genuíno “pegar e operar”, com faturamento imediato e perda de tempo zero de encarroçamento.

O trem de força do coletivo é formado pelo motor Cummins IFS 2,8, que desenvolve 150 cv, a transmissão é a Eaton 25.05 de 5 marchas, enquanto a caixa automatizada Eaton 41.06 está em testes para breve lançamento. Os eixos, com rodado duplo na traseira, são Dana.

Chama atenção o painel de plástico injetável, inédito no mercado, e o conteúdo de conforto para o motorista. Primeiro seu posto está num minimezanino e o painel oferece visão a duas câmeras, uma frontal outra de ré, a primeira para controle de embarque.

A capacidade de produção será de 40 unidades/mês em dois turnos na fábrica de São Mateus, no Espírito Santo. O Volare Cinco foi desenvolvido no centro de desenvolvimento da empresa em São Paulo. Poloni garante que o veículo fará bonito em todas as frentes: “Para testar a arquitetura eletrônica do veículo o colocamos para rodar na avenida Paulista em São Paulo, o lugar de maior interferência eletromagnética do país.”.