Melhorias contínuas

10/04/2017 às 11:29 - Atualizado em 18/05/2017 às 11:28

Empresa busca aperfeiçoar serviços na busca de soluções cada vez mais eficientes e de menor custo para os clientes e diversificar suas operações

Em menos de 10 anos de vida, a RGLog tem conseguido proezas surpreendentes diante das dificuldades deste período: tem crescido mais de 30% ao ano e já é destaque em sua área de atuação. Hoje, a empresa opera com 400 caminhões, 800 implementos e 300 agregados e o faturamento de R$ 350 milhões no último ano deverá ter um crescimento de aproximadamente 30% este ano.

Na sua fundação, em 2008, a empresa contava com cinco caminhões e o objetivo de prestar serviços personalizados com inteligência logística e uma missão clara: oferecer aos clientes um pacote que incluísse serviço de qualidade, atendimento e cumprimento rigoroso dos prazos.

André Rossetti e dois sócios formaram a equipe de fundadores da RGLog em 2008. Ele havia tido uma experiência no setor como um dos proprietários da Control Loc até 2007, e sistemas de rastreamento e gerenciamento de risco no transporte de carga.

Para isso, adotou desde o começo o conceito de utilizar sistemas, equipamentos e métodos de última geração tecnológica para oferecer a máxima produtividade aos clientes. “No inicio agregamos os cinco caminhões a cinco empresas que prestavam serviços de transporte de autopeças.

Já em setembro de 2008 a RGLog aceitou o desafio de resolver os problemas de distribuição de peças da Hyundai-Caoa. “Compramos um sider e passamos a cumprir a rota Anápolis-São Paulo, obedecendo nosso conceito”, lembra Rossetti. Além do transporte de transferência, logo a empresa iniciou a distribuição com os semileves Hyundai HR e passou a ser a gestora dos armazéns da montadora.

“Passamos a ter experiência na gestão de um CD de peças com 78 mil itens”, diz ele. A idéia sempre é a de melhorar os resultados da clientela, mesmo que estes pareçam ótimos. Assim, a empresa passou até a gerenciar os 140 itens que fazem parte do programa de revisão dos veículos da marca, coisa que era feita pelos concessionários.

Crescimento

Como conseqüência do conceito RG, o crescimento foi gigantesco e quatro anos depois a frota chegara a 100 caminhões e apenas um cliente e uma grande surpresa: a Hyundai-Caoa obteve o segundo lugar em atendimento em todo mundo, de acordo com auditoria dos coreanos.

Boa parte desse resultado deveu-se à aplicação de soluções como a implantação de um porto seco de apoio para sustentar as linhas de montagem. “Até então a planta industrial sofria várias interrupções”, diz. Isso ocorria no circuito Coreia, Santos e Anápolis. Para completar, em 2011 a empresa passou a manter o pátio da montadora, inclusive para os automóveis importados via porto de Vitoria.

Para deixar a área de risco do cliente único, a RGLog no mesmo ano de 2012 adotou um conselho de especialistas com o intuito de enveredar por outros segmentos. O primeiro foi o agronegócio em 2013, que exigiu a compra de uma frota de bitrens de nove eixos.

Logo em seguida viriam os serviços ainda mais segmentados com a oferta de serviços para os setores de bebidas (Heineken) em 2014, energia e derivados de petróleo em 2015 até chegar à biomassa para a Citrosuco em 2016. “Vivemos de sempre estudar a melhor solução para o cliente”, diz Rossetti, e isso claramente é um apoio e tanto à manutenção e fidelização da carteira de clientes.

Em resumo, a proposta é ser um parceiro logístico dos usuários, porém não só prestar serviços, mas participar ativamente da inteligência dos processos incorporados e em resultados cada vez melhores. Ou seja, a melhoria contínua tanto nos processos como nos resultados.

Hoje, a RGLog atua em 28 segmentos ou serviços diferentes, com certeza um antídoto contra a crise. A evolução da empresa, aliás, está ligada também a um trabalho continuo de prospecção de mercados e seu desempenho ao longo do tempo. A proposta é simples, setor em bom momento é setor que mais investe.

No apoio às suas operações, a RGLog hoje mantém dez terminais com ampla estrutura de prédios, pátios e armazéns, somando 253 mil m² nas regiões sudeste e centro-oeste. A maior delas em Anápolis, que, sozinha, chega a 100 mil m².

Estrutura

Para garantir tudo isso, o monitoramento e o gerenciamento do total das operações é próprio, para proporcionar a maior confiabilidade possível. Cuidados que chegam à imagem dos motoristas e seu comportamento, estabelecimento de padrões em todas as áreas e de prêmios por eficiência. “Buscamos a máxima satisfação dos nossos funcionários para que a imagem da empresa esteja sempre em alta”, diz Rossetti.

Frota sempre renovada e baixa idade média é garantia de prazos e da confiabilidade dos serviços prestados

A capacidade de manter a freqüência e o compromisso de carga e descarga é garantida por viagens de 700 a 800 km/dia e a disponibilidade de filiais distantes entre 400 a 600 km uma da outra. A rentabilidade é fruto da excelente taxa de retorno com carga em 80% das viagens. “Fazemos o casamento de nossas cargas, concentrar para melhorar, e melhorar para otimizar”, resume.

Cada caminhão deve se comportar como uma empresa e portanto ser lucrativo para os dirigentes da RGLog. Por isso, não há descuido quanto ao treinamento dos condutores, desempenho dos veículos e bom atendimento aos clientes.

Rossetti: ”Um dos nossos segredos é saber dizer não com toda clareza. Não aceitamos leilão de fretes”

Para dobrar a receita até 2020 – cerca de R$ 600 milhões – o plano qüinqüenal da empresa privilegia seus objetivos estratégicos, o capital tecnológico e humano e seu fortalecimento no mercado. “Antes de mais nada sabemos falar não”, diz Rossetti, claramente querendo dizer que a RGLog dispensa propostas indecorosas de frete, tão comuns em momentos de crise econômica e leilão quase generalizado de frete.

Alcançar os resultados previstos é a meta do Plano 10, um guia de planejamento estratégico criado pela companhia, que contempla todas as metas a atingir anualmente e onde querem chegar quando a empresa completar 10 anos, em 2018.

E pelo andar da carruagem, não há porque o plano não se concretizar. Hoje, a RG Log opera com uma frota com mais de 1.200 equipamentos e sob alto padrão de segurança, pois até o gerenciamento de risco é próprio. A frota é 100% monitorada e rastreada.

– Pedro Bartholomeu

Tags: