Modal aéreo: é possível torná-lo sustentável?

31/03/2019 às 5:03 - Atualizado em 29/03/2019 às 5:07

O modal aéreo surgiu, relativamente, há pouco tempo para suprir a enorme demanda de pessoas que desejavam viajar longas distâncias de forma rápida. Com o passar dos anos, as fabricantes e as companhias evoluíram e esse tipo de transporte está cada vez mais comum.

Dados da Organização Internacional de Aviação Civil (Icao) revelam que, ano após ano, são estabelecidos novos recordes relacionados à quantidade de pessoas que viajam de avião.

Em 2016, para efeito de comparação, 3,7 bilhões de pessoas utilizaram aviões no mundo. Esse número está muito distante dos 7,2 bilhões que devem viajar em 2035, revelam as previsões da Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata).

Aumento do número de viajantes reflete no meio ambiente

Para suportar a demanda, que só aumenta no mercado mundial, as companhias estão colocando cada vez mais aviões no céu. Porém, do outro lado da balança está o meio ambiente, cada vez mais degradado com as substâncias que são “jogadas” no ar pelas aeronaves.

Por isso, no contexto atual, é extremamente importante que a indústria do transporte aéreo não fique alheia à sustentabilidade. Estamos vivendo uma época que exige responsabilidade ambiental e em que, empresas que possuem essa preocupação, são tratadas como diferentes e procuradas no mercado.

Meio ambiente no transporte aéreo

Existem diversas pesquisas que constatam que a aviação causa cerca de 3% das emissões globais de dióxido de carbono, índice que as próprias empresas do setor tendem a aceitar.

Apesar disso, existem pesquisadores que propõem um olhar diferenciado para tudo isso. O professor universitário e coeditor do livro Climate change and aviation: Issues, challenges and solutions, Stefan Gössling, alega que existem outras emissões que podem ser tão ruins para o ar quanto o dióxido de carbono.

“A contribuição do setor para o aquecimento global é pelo menos duas vezes maior que o efeito isolado do CO2”, comenta o professor. Esses fatores devem ser analisados e entendidos por empresários do ramo, pois com uma atitude assertiva será possível traçar os melhores avanços e as atitudes necessárias para demonstrar preocupação com o meio ambiente.

Retrato do transporte aéreo brasileiro e mundial

Existe uma opinião generalizada de que o transporte aéreo poderia ser melhor e proporcionar menos danos ao meio ambiente. “Basicamente, o tráfego aéreo é muito ineficiente. Ele cria uma queima desnecessária de combustíveis, e um uso mais eficaz, reduziria as emissões em 10%”, afirma o porta-voz da Iata, Chris Goater.

Além disso, existe uma enorme pressão de diversos setores da economia para que soluções sejam encontradas. E concomitantemente, são realizados acordos para propor a redução das emissões de CO2 na aviação global. Em 2016, um acordo entre 191 países determinou que esse processo deveria ser realizado em duas etapas: até 2035, as emissões deveriam ter os níveis de 2020; e em 2050, os níveis de 2005.

Como aliar eficiência logística e sustentabilidade

A partir do consentimento de que é necessário aliar logística e sustentabilidade para propor soluções eficientes, empresários do ramo estão cada vez mais avançando no tema e desenvolvendo novas ideias para o setor.

Nesse contexto, devemos afirmar que o processo de tornar a aviação sustentável é lento, mas representa sim uma grande mudança. Sobre isso, podemos observar as turbinas da década de 60, por exemplo, que eram 70% mais prejudiciais do que as atuais.

O biocombustível é um recurso que já está disponível no mercado e possibilita uma eficiência ecológica muito maior do que o tradicional combustível de aviação. Outra novidade que pode se tornar mais popular nos próximos anos são os aviões movidos à energia solar, capazes de viajarem por até 26 horas ininterruptas.

Porém, todo esse processo pode ser ainda mais potencializado com uma logística melhor e mais eficiente. Uma grande quantidade de combustível é utilizada apenas durante o congestionamento aéreo, pouco antes do avião realmente pousar.

Sendo assim, com etapas mais eficazes, é possível reduzir o consumo de diesel de aviação e proporcionar ao modal aéreo eficiência e cuidados com o meio ambiente.