Volvo injeta R$250 milhões no Brasil. E agora?

16/04/2019 às 11:07 - Atualizado em 18/04/2019 às 11:15

A Volvo no Brasil anunciou nos últimos dias um investimento de R$250 milhões de reais no país. A ação ocorre dois anos após o aviso de um aporte no valor de 1 bilhão de reais no mercado nacional, que ainda está sendo efetuado.

Essa nova injeção revela o bom momento da empresa, que vem de crescentes no mercado e possui perspectivas muito boas para o futuro. Dessa forma, é possível viabilizar ações e criar investimentos capazes de colocar a Volvo em um cenário ainda mais competitivo.

Crescimento da Volvo no mercado

O ano de 2018 não foi positivo só para a Volvo, já que o setor teve um avanço de cerca de 30%. Apesar disso, a marca sueca obteve incríveis 80% de crescimento nas vendas, sendo 66% na categoria dos semipesados e 79% dos pesados.

“Além do desempenho nestas categorias, também avançamos muito na venda de caminhões fora-de-estrada, muito usados no agronegócio e na mineração, por exemplo”, lembra o presidente do Grupo Volvo na América Latina, Wilson Lirmann.

Caminhões de sucesso

Após vencer de vez a crise, a Volvo se colocou como protagonista no mercado nacional dos caminhões. E um dos responsáveis para tudo isso foi o FH 540 6×4, que foi o mais vendido no ano passado entre todas as categorias no mercado.

“Hoje não temos nenhuma dificuldade de vender os caminhões FH, mas de entregar, porque o agronegócio se recuperou fortemente este ano e não conseguimos aumentar a produção no mesmo ritmo”, revela o diretor comercial do Grupo Volvo na América Latina, Bernardo Fedalto.

Outra aposta da marca é o VM, que também teve um crescimento relevante no ano de 2018. “Com o VM, alcançamos 10% de participação desse mercado”, revela o diretor de vendas da empresa no Brasil, Alcides Cavalcanti.

Por que investir novamente no Brasil?

Como justificativa para os investimentos, é importante entender a ótima fase que a Volvo vive no Brasil. Sobre o assunto, Lirmann afirma que 2018 foi um ótimo ano para as vendas da empresa.

“Terminamos muito bem em termos de estoque, com quase nenhum caminhão no pátio: produzimos 15 mil, sendo 10 mil para o mercado interno e 5 mil para exportação”, comentou.

Outras ações da Volvo no mercado nacional

Outra medida tomada pela Volvo foi aumentar a capacidade operacional de sua fábrica em Curitiba, no Paraná. Dessa forma, a empresa contratou 300 e aumentou o número de funcionários para 3,7 mil.

E o aumento no número de colaboradores é algo que já acontece desde 2018, “No ano passado, contratamos 250 temporários que foram efetivados. Como projetamos um crescimento do mercado brasileiro de 30% em 2019, também esperamos que as novas contratações se tornem permanentes”, relata o diretor de comunicação e marketing da Volvo do Brasil, Daniel Mello, ao DCI.

Perspectivas são de crescimento para a Volvo

Todas essas medidas abrem um céu de oportunidades e perspectivas positivas para a Volvo. Apesar disso, os executivos da empresa preferem não estipular números, o objetivo é apenas aumentar a marca, “A ambição é crescer em participação”, afirma Lirmann.

“Há indicadores macroeconômicos bastante positivos e favoráveis. Acreditamos na continuidade desse movimento para 2019. Ainda há pontos de atenção, como o déficit fiscal e o ambiente de negócio, que podem melhorar com reformas, além das soluções políticas”, complementa.

Apesar do crescimento, o governo deve ajudar

O crescimento realmente foi muito expressivo e deve se manter em 2019. Apesar disso, a Volvo caminhões acredita que é importante que o governo brasileiro mantenha atitudes pró-mercado e estimule o crescimento.

Sobre o assunto, Daniel Mello relembra de atitudes necessárias para a equipe do presidente Jair Bolsonaro colocar em pauta neste ano: “O governo precisa aprovar as reformas e solucionar a questão do déficit fiscal”, afirma.

Sucesso se mantém na América Latina

Segundo a Volvo, o Brasil possui o maior mercado para caminhões pesados na América Latina. Apesar disso, existem outros países em que a marca também está ganhando cada vez mais importância.

No Peru, a Volvo possui 27,9% do market share e é líder no segmento, mantendo boas participações também na Argentina (19,1%) e no Chile (17%). Sobre os mercados, Lirmann comenta sobre as expectativas, “Acredito que Peru e Chile deverão apresentar mercados estáveis este ano e que a Argentina deve ter uma virada da curva de queda”.

Certo é que a Volvo no Brasil está crescendo ano após ano e promete conquistar cada vez o exigente e concorrido mercado nacional. Tal tendência ainda está se repetindo nos outros países sul-americanos, em que o cenário parece extremamente positivo para a marca sueca a longo-prazo.